quarta-feira, 18 de setembro de 2019

O Porto nas aguarelas de Dina de Souza




LENDA MIRAGAIA II - O Rapto da Bela Árabe

2012_02/ Óleo s/tela/ 100x81cm

O Porto nas aguarelas de Dina de Souza



Opinião do Crítico de Florbela Rubia


Uma Grande Pintora do nosso tempo com alma de poeta no que pinta o PORTO com alma e coração. Os trabalhos da Dina de Souza, são de uma técnica aprimorada e de um cromático rico de cor e de emoções. Tudo na sua obra é genialmente pensado, o tema, a história, a composição, a harmonia, a acutilante crítica á sua Cidade o PORTO e o relato indesmentível dos Factos, os Mitos, as Histórias que a tornaram Património Mundial. Também a obra de DINA DE SOUZA será no futuro apreciada a nível Mundial, fazendo dela uma PINTORA ARTÍSTICA com Créditos firmados pela POESIA que nos enche a Alma no que Cria e PINTA! Especializada inicialmente em pintar o Porto em aguarelas, hoje excede-se quando a sua Cidade - o PORTO - as PINTA a ÓLEO como poucos. A NÃO PERDER uma visita á GALERIA VIEIRA PORTUENSE, que está de Parabéns ao divulgar o que de melhor se faz hoje em PORTUGAL em SURREALISMO, pois DINA DE SOUZA tem escola, uma técnica apuradíssima e uma visão para além do comum ao CONTAR histórias de um Passado e de um presente Inesquecíveis!

Artista Plástico Florbela Rubia
Crítica de Artes (Florença)
Julho 2012

Divagando sobre o Éden XVI - O BADALO DO CONTENTAMENTO

2011_09/ Óleo s/tela/ 70x70cm

Divagando sobre o Éden XII - MANIPULADORA (DEUS)

2011_02/ Óleo s/tela/ 80x70cm

V IMPÉRIO

2006_11/ Óleo s/tela/ 81x100cm

O Porto nas aguarelas de Dina de Souza





Nomeação de Academica Correspondente da Febacla


Opinião do Artista Plástico FRAGUIAL

Apraz-me falar de Dina de Souza, pois a considero uma excelente pintora. A sua fértil criatividade vai do seu incrível e belo surrealismo, onde a coloco nos degraus do sucesso, como uma das melhores da atualidade, até ao seu perfeito realismo.
Dina procurou e encontrou a sua originalidade. O seu fortíssimo potencial permite-lhe vaguear entre mundos diferentes. Dina de Souza, não se fez, nasceu. Ela utiliza a cor como forma, para expressar ritmo e movimento.
Na árvore do silencio de Dina, está o fruto da sua segurança, dos seus gritos artísticos, na procura constante em conseguir o "diferente". Dina não tem limites a percorrer, tem sim, estradas sem metas.
Todos os seus trabalhos, têm fortes mensagens, Dina consegue entrar no campo da poesia artística.
Descodificar suas telas, é ler-lhe a alma!
Parabéns Dina de Souza, tens o meu respeito e admiração.

Fraguial
Julho.2012

LENDA DE PEDRO SEM V - A Ruína

2012/04/ Óleo s/tela/ 100x81cm

O Porto nas aguarelas de Dina de Souza




Pincel de Ouro


Dina de Souza

PRÉMIOS:
* 2013 - INSTITUIÇÃO E POSSE da CADEIRA PATRONÍMICA IMORTAL INTERNACIONAL Nº 006 – ALBERTO DE SOUZA - Dignatário DINA DE SOUZA em 25.01.13 pela FEBACLA – Federação Brasileira Académica de Ciências, Letras e Artes, em Niterói-RJ-BRASIL.
* 2013 - PRÉMIO "PINCEL DE OURO" atribuído pela sua obra no PORTAL FEBACLA ARTES a DINA DE SOUZA (Pintor a) em 25.01.13 pela FEBACLA em Niterói-RJ-BRASIL.
* 2013 - 3º PRÉMIO E MENÇÃO HONROSA na VIII MOSTRA ARTES PLÁSTICAS  ARTISTAS  VIMARENENSES em Guimarães Capital  Europeia da Cultura.
- 2010, 1º PRÉMIO-MENÇÃO HONROSA GRAU PLATINA na exposição "PICTOREMAS ‘10" na Loja do Cidadão do Porto, de 3 SET a 4 OUT 2010, com a obra “Suprema Tentação”.
- 2010, 2º PRÉMIO-MENÇÃO HONROSA GRAU OURO na Exposição "ART 'INATA – INTERNACIONAL DA NAZARÉ" no Centro Cultural da Nazaré de 21 Agosto a 26 Setembro 2010, com a obra “Poderes”.
- 2010, 1º PRÉMIO-MENÇÃO HONROSA GRAU PLATINA na Exposição "ESTORIL'ART" na Galeria da Junta Freguesia do Estoril de 16 a 30 de Julho 2010, com a obra “Inocência”.
- 2009, 1º PRÉMIO-MENÇÃO HONROSA GRAU PLATINA na Exposição “ARTMIXT ’09 AVEIRO CONTEMPORÂNEA” na Galeria da Santa Casa da Misericórdia de Aveiro,  com a tela “Camões – O Canto Português”.
- 2009, 2º PRÉMIO-MENÇÃO HONROSA GRAU OURO na Exposição “PICTOREMAS” no Centro Cultural de Esgueira, Aveiro com a tela “Máscaras Venezianas”.
- 1988 – MENÇÃO HONROSA em Aguarela na Exposição da Galeria MULTIFACE em Lisboa.
- 2011 - Artmajeur SILVER Award 2011 (Jan)
- 2010 - Artmajeur SILVER Award 2010 (Jan)

EXPOSIÇÕES
Expõe regularmente desde 1988. Participou em mais de 105 Coletivas (Portugal, Espanha e Brasil). 7 Duplas e fez 23 Individuais, com destaque especial para a Galeria Vieira Portuense do Porto.
As suas obras estão representadas em acervo em alguns Museus, Câmaras Municipais e Coleções Particulares em Portugal e no Estrangeiro (EUA, França, Alemanha, Suécia).

DESTAQUE  DE  EXPOS  EM  MUSEUS  E  GALERIAS  INTERNACIONAIS
Câmara – Porto; C.C.Valongo; C.C. Esgueira – Aveiro; Galeria Turismo Nazaré; Sana Hotel – Lisboa; Galeria C. M Oliveira Bairro; Galeria J.F. Estoril; Museu Dionísio Pinheiro – Águeda; Galeria Vieira Portuense – Porto; Museu Vouzela; Museu Regional Oliveira Azeméis – Oliveira Azeméis; Museu Etnográfico de Mira – Mira; Galeria Mafalda d’Eça, Monte Estoril; FIARTE–FEIRA INTERNACIONAL DE ARTES 2011 Coimbra;  Galeria Maria Crispim, Pinhal Novo;  Galeria Tomaz Costa – C. M. Oliveira Azeméis; Museu M. Dr Santos Rocha - Figueira Foz;  MAM-Museu Ferroviário de Montenegro, Brasil; Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana – Rio Janeiro - Brasil;  Espaço Bento Martins – J.F. Carnide – Lisboa; Casa Artes Mario Elias – Mertola; Galeria Mutualidade – Coimbra; Galeria Inventart – Odivelas; Galeria Albuquerque e Lima – Coimbra.

BIENAIS
II  Bienal de Paço de Arcos (2012)
Bienal de Vendas Novas (2011)
VII Bienal de Artes Plásticas da Vidigueira (2010)
Bienal de Pedrogão (2010)
Bienal de Pintura e Escultura de Sesimbra (2010)
Bienal Prémio Fidelidade

EVENTOS DE SOLIDARIEDADE:
- 2013 -“OLHARES SOBRE VIDAS (SEM) ABRIGO, ligado ao GAF – Gabinete Apoio á Família de Viana do Castelo.
- 3 anos de Solidariedade com os ROTÁRIOS do PORTO e de GAIA em Exposições para apoio a Várias Instituições dos 2 Concelhos, realizadas no Antigo Pavilhão da Alfândega de Gaia. 
- DIFERENÇA NA DIFERENÇA, a favor das crianças Autistas da ABC Real por ocasião do 1º Congresso Mundial de Autistas realizado na Fundação Calouste Gulbenkian e exposição no Hotel Sana Malhoa em Lisboa.
- ARTE SOLIDÁRIA, a favor das Crianças da Unidade de Multideficiência de Oiã - Oliveira do Bairro.
- AJUDAR A MADEIRA, Galeria Mafalda d´Eça no Monte Estoril.
- ARTE NA MADEIRA, Galeria Vieira Portuense no Porto.
- AMI Assistência Médica Internacional  - Solidariedade no Centro Cultural de Ermesinde.
- AMI Assistência Médica Internacional  - Solidariedade Museu da Póvoa do Varzim.
- AMI Assistência Médica Internacional  - Solidariedade na Biblioteca Lucio Craveiro Silva em Braga. 
- AMI Assistência Médica Internacional  - Solidariedade na Biblioteca Miguel Horta em Felgueiras.

PUBLICAÇÕES EM LIVROS  ARTES
2011 – Galeria Anuário de Artes de 2011 da Fiarte – Coimbra – Portugal.
2009 – Mitos de Arte - Antologia Pintores Portugueses Contemporâneos – Museu Berardo – Portugal.
2008 – Folium – do Arquivo Municipal de Penafiel.

ASSOCIAÇÕES A QUE PERTENÇO:
COOPERATIVA ÁRVORE - Porto
GALG - Grupo de Artistas Plásticos “Luso Galaicos”,
AAAGP-PT - Associação de Amizade e das Artes Galega Portuguesa
ESPAÇO DE ARTE 2000 de Martim – Murça
Círculo Artístico e Cultural ARTUR BUAL - Amadora

ACERVOS:
As suas obras estão representadas em acervo em alguns Museus, Câmaras Municipais e  Coleções particulares:
Museu de Vouzela (2); Misericórdia do Porto; Câmara Municipal do Porto (2); Câmara Municipal de Stº Tirso (Museu Municipal); Câmara Municipal de Alijó; Câmara Municipal de Monção; Câmara Municipal de Melgaço;  Câmara Municipal de Poio – Espanha (3); Câmara Municipal de Cuntiz – Espanha; Casa da Cultura de Valongo; Casa do Povo de Vilas Boas – Chaves; Junta de Freguesia de Aldoar – Porto; Junta de Freguesia de Paranhos – Porto.

Artista reconhecida internacionalmente.
Fiscal Municipal e faz ações sociais na AMI - Assistência
Médica Internacional e no Centro ABC Real Portugal.

sexta-feira, 30 de agosto de 2019


O Porto nas aguarelas de Dina de Souza



Critica de Ferreira Pinto ao trabalho de DINA DE SOUZA e a expo MITOFACTOS O'PORTO


Dina de Souza
Artista Plástica

“Para curar-me, o feiticeiro
pintou tua imagem
no deserto:
areia de oiro - teus olhos,
areia vermelha - a tua boca,
areia azul para os cabelos,
e branca, branca areia, para as minhas lágrimas.

Pintou durante o dia, e tu
crescias como uma deusa
sobre a imensa tela amarela.
E pela tarde o vento dispersou
tua sombra colorida.

E, como sempre, na areia
Nada ficou senão o símbolo das minhas lágrimas:
areia prateada”.

Herberto Hélder, in Poesia Toda.


Era uma vez, há muitos, muitos anos atrás… há tantos anos, que nem o tempo existia ainda…era o princípio dos tempos, o tempo da “criação”.

Ao lançar um olhar sobre a pintura de Dina de Souza, ficou-me desde logo a sensação de estar a visitar um espaço-tempo longínquo – o da “criação”.

É da criação plástica de Dina de Sousa, deste conjunto de obras, muitas das quais de cariz surrealista, que acabei de visitar e que me disponho a falar, deixando-me levar pelo sentimento que experimento face à sua obra.

Dina de Souza nasceu em Niassa, Moçambique, um território despovoado mas possuidor de rara beleza, considerado a última selva natural do mundo ou uma espécie de reminiscência do jardim de Éden africano.

Terá este “Éden africano” durante o tempo de criação do seu trabalho “ Divagando sobre o Éden”, emergido do imaginário da artista? À parte esta associação, seria injusto se não fizesse referência a este tema - o “Éden”, que considero central no seu imaginário interno global, uma autêntica âncora, qual matéria-prima que a artista na sua mais profunda intimidade, decide trazer à superfície e numa espécie de bailado cosmogónico proporcionar visões de tempos de um tempo muito para além da memória. 

Será, creio bem, um “estado de alma”, uma forma particular de transportar para este tempo, sensações e emoções de um tempo do Grande e Eterno Tempo, um compromisso interior que procura exteriorizar com sensibilidade e frontalidade.

A artista aventura-se sem preconceitos a conjugar figuração e abstração. Esta conjugação é uma proposta que Dina de Souza decidiu aprofundar e mostrar como a imaginação pode ser tão criativa.

No seu trabalho sobre o Éden, a artista destaca a mulher como seu principal elemento. Contudo, outros se revelam também importantes, nomeadamente a maçã e o tempo, simbolizado pelo relógio.

As mulheres de Dina de Sousa aqui representadas não são figuras escolhidas ao acaso, mas capturadas fotograficamente pela câmara mental ao seu caleidoscópio interno e projetadas plasticamente para a tela. São figuras que representam a "primeira mulher", aquela que na história é associada à serpente que a levou a comer o fruto proibido e que por isso foi expulsa do Jardim do Éden. 

Mas, o que mais cativa na sua pintura, é o modo como as cores e as formas interagem, criando claras atmosferas de sonho em abundância e em que os movimentos visuais são propiciados pela combinação entre elas.

As obras de Dina de Souza que compõem este "Divagando sobre o Éden", que considero, como já afirmei um universo de memórias da artista, composto de instantes, sensações e emoções, não se destinarão à decoração, apenas, de uma qualquer parede e assim ao olhar passivo ou distraído, ou até mesmo contemplativo dum observador de circunstância. Delas ter-se-á que inferir e usufruir de toda uma panóplia de manifestações plásticas subjacente a impulsos interiores da artista, que conduzirão certamente o observador, caso a participação deste seja de facto aberta, ativa e extrospetiva, a que as obras ganhem outro interesse.

A cidade do Porto é um outro tema de eleição para Dina de Sousa.
Poder-se-ia questionar se a sua pintura poderia existir sem a cidade do Porto? Poderia, mas não seria a mesma coisa.

A 21 de Julho próximo, Dina de Sousa vai apresentar na cidade do Porto, o seu mais recente trabalho, "MITOFACTOS O'PORTO", na Galeria Vieira Portuense.

Mais uma vez enfatizo a questão do consciente na criação por ser fundamental o papel desempenhado pela memória, que no caso de Dina de Sousa se expressa de forma muito clara e afirmativa.

Claro que neste trabalho, "MITOFACTOS O'PORTO", a artista recorreu ao seu Imaginário mais recente e a partir de aí, começou a construir aquilo que me parece ser uma homenagem à cidade do Porto.
A concepção do universo portuense é de elevada importância para a artista. A forma apaixonada, elegante e límpida como respira a atmosfera citadina portuense, tem grande influência no modo como experiência, momento a momento, esse continuum espaço-tempo desta sua atual existência.
Em "MITOFACTOS O'PORTO" há questões fundamentais que a artista se propõe construir com simplicidade e espantosa sensibilidade, usando das cores e das formas, uma visão muito especial da multividencia portuense, como dela se tivesse apropriado no mais intimo sentimento da sua beleza e dos seus particularismos, com enorme cumplicidade com a cidade - artista e cidade fundidas num mesmo e único ser.
E uma vez mais a artista considera que a arte apenas funciona, de fato, quando o observador é mobilizado internamente, quer por via de estórias e mensagens que propõe, quer pelo “apelo” à observação de pontes conceptuais capazes de gerar indagações de diversas ordens, quer por questões de estética, ocupação do espaço, cor, forma e equilíbrio.
Deste trabalho "MITOFACTOS O'PORTO" composto por 19 obras, fazem parte, nomeadamente “A Lenda de Miragaia”, a que me vou referir em particular, “A Prisão de Camilo Castelo Branco na Cadeia da Relação” e  “A Lenda de Pedro Sem”.
Na lenda de Miragaia, Dina de Sousa consegue em apenas seis obras mostrar plasticamente o que há de mais marcante e interessante para contar e essa intenção é bem-sucedida quer do ponto de vista do conteúdo temático, quer da harmonia e equilíbrio, nomeadamente da forma e da cor.
Imagino o quanto a artista regrediu no tempo, em voos rasantes e picados, desafiando as leis tridimensionais do espaço-tempo, na firme intenção de trazer para o Agora o que de mais essencial se lhe tornava claro num território que um dia se chamaria Portugal. 
D. Urraca ou D. Gaia como foi também conhecida, chorosa pela traição de Ramiro, seu marido e seu senhor, e pela morte do amante mouro na contenda entre os dois, acabou morta pela espada impiedosa do rei, depois destas palavras:

"Perguntas-me o que miro?
Traidor rei, que hei-de eu mirar?
As torres daquele Alcácer
Que ainda estão a fumegar!
Se eu fui ali tão ditosa,
Se ah soube o que era amar,
Se ah me fica a alma e a vida…
Traidor rei, que hei-de eu mirar?

Pois mira, Gaia! E, dizendo,
Da espada foi arrancar:
Mira Gaia, que esses olhos
Não terão mais que mirar!

Ponta Delgada, 1 de Julho de 2012
António Ferreira Pinto

O Porto nas aguarelas de Dina de Souza



DIVAGAÇÕES - "Desejo"

2016/ Óleo s/tela/ 100x80cm
3.700,00 €

Currículo Dina de Souza


DINA DE SOUZA
É actualmente considerada uma das maiores pintoras surrealistas Portuguesa Contemporânea. O Mestre Mário Silva intitula-a de Surrealista Romântica.
Iniciou a sua arte desenhando a carvão e pintando em Aguarelas, com as quais fez várias exposições individuais e colectivas desde 1988.
Assina como DINA DE SOUZA. 
Nasceu no Niassa, Moçambique. 
Fez o Curso da Escola Soares dos Reis do Porto e o ESBAP – Escola Superior de Artes Plásticas do Porto no Curso de Pintura e Escultura.
Frequentou vários ateliers de pintores conceituados da cidade do Porto, 
Especializou-se pintando sobretudo o Porto - Património Mundial, em aguarela.
Expõe pela primeira vez surrealismo, no CCD da Câmara Municipal do Porto e no Salão Nobre da Junta de Freguesia de Aldoar, Porto, onde se incluía no Grupo de Artistas Plásticos e Funcionários da C:M:Porto dre que faziam parte, Sotto Moura, Alexandre Braga, Florentina Resende, Jorge Almeida ,  Figueiroa, Pimenta, Teresa Vasconcelos, entre outros.
27 Exposições Individuais e 118 Exposições Colectivas.

FR:
DINA DE SOUZA
Elle est actuellement considérée comme l'un des plus grands peintres portugais contemporains surréalistes. Mestre Mário Silva l'appelle un surréaliste romantique.
Il a commencé son charbon de dessin d'art et de la peinture à l'aquarelle, qui a fait plusieurs expositions individuelles et collectives depuis 1988.
Signes comme DINA DE SOUZA.
Il est né à Niassa, au Mozambique.
Est-ce que le cours école Soares dos Reis do Porto et ESBAP - Ecole des Beaux-Arts de Porto en cours de peinture et de sculpture.
Il a assisté à plusieurs ateliers de peintres renommés de Porto,
Il s'est spécialisé dans la peinture du Porto - Patrimoine mondial à l'aquarelle.
Expose pour la première fois dans le surréalisme CCD de ville de Porto et le Grand Hall du conseil paroissial Aldoar, Porto, où inclus dans le groupe Artistes Plastiques et employés de C: M: Porto qui faisaient partie dre, Sotto Moura, Alexandre Braga, Florentina Resende, Jorge Almeida, Figueroa, poivre, Teresa Vasconcelos, entre autres.
37 expositions individuelles et 233 expositions collectives.

SERENATAS (TUNAS) NA RIBEIRA

18.09.19/ Série: Porto Sentido/  Aguarela/papel 300g/ 56,5x40,9cm